Experiência bem sucedida de Alta Floresta é destaque em...

A execução bem sucedida do Programa Olhos D’Água da Amazônia desenvolvido pela Prefeitura de Alta Floresta foi um dos destaques do seminário promovido pelo...

UFMT busca parceria com município para desenvolver...

Pesquisadores do Campus da UFMT de Sinop estiveram em Alta Floresta no último fim de semana buscando informações para desenvolver um projeto sobre meliponíneos, ou abelhas...

Produtores de 08 municípios visitam Meliponário de Alta...

Criado há mais de quatro anos pelo Projeto Olhos D’Água da Amazônia, com o propósito de implementar a cadeia produtiva do mel no município, o...

     
 

Você está em: HOME • NOTÍCIAS • APICULTORES DE ALTA FLORESTA PARTICIPAM DE CONSULTORIA QUE ABORDOU PRAGAS EM...


Apicultores de Alta Floresta participam de consultoria que abordou pragas em apiários


Fonte: Assessoria
Autor: Giselle Oliveira
Publicado em 29/03/2016 as 08h00

A capacitação dos produtores de mel de Alta Floresta é uma atividade realizada no município através de Consultoria da Apicultura, promovida em parceria da Prefeitura de Alta Floresta por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural com o Serviço Brasileiro de Apoio ás Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/MT).

Nesta semana, foi realizada mais uma capacitação cuja discussão foi o controle de pragas nos apiários, que podem causar problemas para as abelhas, tanto na fase de larva quanto na fase adulta, e acabar com o apiário inteiro, explica o consultor do Sebrae, Robson Raad.

Conforme Robson Raad é necessário que os produtores façam o extermínio total dessas pragas, pois além de afetar todo o apiário, dependendo da praga pode matar animais no pasto. “É necessário fazer o controle com pesticidas no apiário, para evitar o surgimento de novas pragas, que estão contaminando os apiários no Brasil afora, essas pragas comem o polém que está na cera”, completa Raad.

 Outro fator, que os apicultores devem levar em consideração, é que a ocorrência de doenças nas colmeias pode acarretar prejuízos na diminuição da produtividade, uma vez que o aumento da mortalidade, tanto de crias como de abelhas adultas, leva a uma redução da população da colmeia com consequente redução da produção. Em casos mais graves, o apicultor poderá perder enxames, já que as abelhas africanizadas costumam abandonar as colmeias quando a população cai abaixo de 4 mil indivíduos e quando há muita cria morta.

Participaram apicultores de mel de Alta Floresta, que tem o objetivo de melhorar suas produções e aprender técnicas com um especialista no assunto, já que a região tem o bioma amazônico, com abelhas nativas, e com as técnicas e orientações, o sistema de produção pode ser aperfeiçoado.  

Segundo a secretária de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Aparecida Sicuto, essa parceria entre a Prefeitura de Alta Floresta e o Sebrae é importante, pois propicia oportunidade de conhecimento e aprendizagem para os apicultores. “É uma troca de experiência muito importante para esses apicultores”, ressalta Sicuto. 
 


 
 

 
Prefeitura Municipal de Alta Floresta

Secretaria Municipal de Meio Ambiente
Canteiro Central, s/n - Centro
78.580-000 - Alta Floresta - Mato Grosso
+55 (66) 3512-3125
www.podam.com.br | [email protected]

 
 

Reprodução do conteúdo deste site é autorizada desde que citada a fonte "Projeto Olhos D'água da Amazônia"

© PODAM 2018 - Desenvolvido por Virthuan Tecnologia em parceria com Quintino Gestão de Projetos.